Empresas Virtuais Precisam de Registro de Marca

Conheça tudo sobre a tendência das empresas virtuais após o ano de 2020 e como funciona o processo de registro dessas marcas!

As empresas virtuais estão em constante crescimento, devido à ascensão tecnológica e ao período de isolamento social provido da pandemia iniciada no ano de 2020.

Embora o comércio eletrônico tenha como propósito simplificar o processo de compra, o empreendedor deve tomar todos os cuidados relacionados à impostos, registro de marca e regularização de CNPJ.

Afinal, como funcionam as empresas virtuais?

Segundo estudos da Fundação Getúlio Vargas – FGV, antes do período pandêmico cerca de 49,7% das empresas não realizavam nenhuma forma de venda online, em julho de 2020 o número caiu para 28,4% e em junho de 2021 estava em 20,2%.

Pontos positivos e negativos

Quando falamos nos pontos positivos de uma empresa virtual, logo pensamos na disponibilidade de acesso que o cliente terá.

Que empresa física ficaria aberta e prestando atendimento 24h por dia, todos os dias da semana? E o melhor: tudo isso sem sair de casa!

Ou seja, a comodidade e conforto em relação ao acesso é um dos principais pontos positivos.

Além disso, podemos citar custos mais baixos de manutenção, quando comparamos a lojas físicas.

Em outras palavras, a margem de lucro sob os produtos consegue ser mais proveitosa, melhorando o preço final ao consumidor!

Entretanto, alguns pontos negativos devem ser levados em consideração também, como por exemplo, alguns clientes ainda possuem certa insegurança em realizar compras virtuais.

Nestes casos, é indispensável deixar todas as informações da forma mais clara possível, quebrando, desta maneira, as possíveis objeções.

Por exemplo, ao vender alguma peça de vestuário, deve-se especificar as cores disponíveis, modelos, de qual material é feito, os tamanhos e medidas – e como medir em casa.

Todos os produtos devem conter fotos, e se possível, vídeos com todos os detalhes da peça. Para deixar o consumidor mais tranquilo e seguro com a compra!

Como iniciar uma empresa virtual?

Existem diversos processos envolvidos na criação de uma empresa online, alguns deles são:

  • Defina o segmento de atuação e público-alvo;
  • Encontre os fornecedores para os produtos que serão vendidos;
  • Escolha um nome para a marca e faça uma busca de viabilidade gratuita;
  • Registre a marca e tenha todos os direitos sob ela assegurados;
  • Encontre uma plataforma de venda digital;
  • Contrate um software para controle interno (vendas, finanças, estoque);
  • Inicie o processo de anúncios/tráfego pago;
  • Invista na experiência do cliente! Como esse produto chegará até ele? De que forma a marca impactará positivamente e fará com que a empresa seja recomendada?

Por que realizar o registro de marca de uma empresa virtual?

Muitas pessoas imaginam que por se tratar do mundo “online”, não existe a necessidade de registro de marca.

Entretanto, o registro é a única maneira de assegurar os direitos sob uma marca. Sem ele, a marca fica sem proteção, e qualquer outra pessoa pode realizar o pedido de registro antes.

Desta maneira, é indispensável que este pedido seja realizado antes de colocar a marca em circulação.

Pôr a marca em circulação sem a devida proteção, é como divulgar sua ideia antes de tirar do papel.

Em casos de plágio da mesma, não poderá haver contestação, uma vez que não existirão argumentos jurídicos para tal.

Logo, mesmo que seja uma empresa “apenas” virtual, o pedido de registro deve ser realizado da mesma maneira.

Existem muitas dúvidas acerca de como fazer o registro de marca, entretanto a Direção Marcas e Patentes busca simplificar esse processo para os nossos clientes e parceiros!

 

Conclusão

Por fim, é nítido que a tendência das empresas virtuais traz diversos benefícios e está sendo cada vez mais utilizada!

Embarcar nesta “nova” modalidade de empreendimento é um desafio e tanto! Com tantas novas empresas sendo criadas diariamente, é necessário que a marca entregue diferenciais.

O diferencial pode estar no atendimento, no produto, no pós venda… Ou quem sabe em todas essas etapas!

Quando falamos a respeito do pós venda, falamos do momento onde o cliente é de fato fidelizado e o laço criado durante a venda/pré venda, é nutrido.

Em síntese, esse é o momento onde um cliente torna-se impulsionador da marca, priorizando e recomendando o uso da mesma.

Embora o mundo online traga muitas facilidades tanto para o consumidor quanto para o empreendedor, é bom estar sempre atento a todas as questões jurídicas necessárias para o bom funcionamento do empreendimento.

Estar atento aos impostos, abrir CNPJ e iniciar o pedido de registro, são ações imprescindíveis!