Marcas sugestivas: entenda o que são quais as suas características

A marca é uma representação simbólica de uma entidade, produto ou serviço, qualquer que seja o ramo de atividade, que é facilmente identificada pelo seu consumidor.

Para diferenciá-las, existem algumas características que as classificam conforme o grau de distintividade.

De acordo com o manual de marcas do Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI), “O caráter distintivo de um sinal está vinculado à sua maior ou menor capacidade inerente de funcionar como marca.”

Uma dessas classificações sãs as marcas sugestivas.

O que são?

Os sinais sugestivos não denotam claramente qual o ramo de atividade exercido.

Porém, mostram de maneira conotativa, alguma qualidade, característica ou benefício do produto/serviço assinalado pela marca.

Esse tipo de referência indireta por vezes pode exigir que o consumidor raciocine para descobrir do que se trata.

Além disso, quanto à disitintividade, essas marcas são consideradas fracas pelo INPI. Por isso, é sempre bom ficar atento ao criar uma marca, para não ter o pedido indeferido.

Exemplos de marcas sugestivas

Para exemplificar melhor, vamos dar alguns exemplos desse tipo de marca. Com certeza você já conhece alguma delas!

Confira:

Kibon

Apesar de não citar diretamente que se trata de um sorvete, fica claro que é um produto do ramo alimentício.

Figura 1. Fonte: divulgação

Sadia

Outra marca de alimentos, porém fazendo alusão a algo saudável e de qualidade.

DETALHES DO ANEXO sadia.png 31 de agosto de 2020 19 KB 693 por 350 píxeis Editar imagem Excluir permanentemente Texto alternativo Descreva a finalidade da imagem(abrir em uma nova aba). Deixe em branco se a imagem é apenas decorativa.Figura 2. Fonte: divulgação

Seda

É uma linha de produtos capilares, porém o nome sugere algum dos benefícios que o produto pode proporcionar ao cabelo.

Figura 3. Fonte: divulgação

 

Aquecebem

A marca de aquecedores mostra em seu nome um benefício proporcionado pelo aparelho.

Figura 4. Fonte: divulgação

Toda marca pode ser registrada?

Apesar disso, é bom lembrar que nem toda marca será passível de registro.

A Lei da Propriedade Industrial estabelece no inciso VI do art. 124, que não é passível de registro como marca:

(…) sinal de caráter genérico, necessário, comum, vulgar ou simplesmente descritivo, quando tiver relação com o produto ou serviço a distinguir, ou aquele empregado comumente para designar uma característica do produto ou serviço, quanto à natureza, nacionalidade, peso, valor, qualidade e época de produção ou de prestação do serviço, salvo quando revestidos de suficiente forma distintiva.

Por isso, ao investir em uma marca é preciso ter muito cuidado para não ter problemas no momento que você pedir o registro ao Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI).

Se você está criando uma marca e não sabe se ela poderá ser registrada, entre em contato conosco que tiraremos todas as suas dúvidas!