Fonte Imagem: UNPLASH

Uma cooperativa que fabrica e comercializa diversos tipos de produtos precisa pensar grande ao criar e gerir suas marcas e produtos. Ter uma estratégia de Propriedade Intelectual e Industrial alinhada com o design de produto e marketing é essencial. Sem a proteção jurídica adequada, a marca perde valor e o produto perde mercado.

Acompanhe a nossa análise e entenda como uma cooperativa pode construir seu império com o registro e vigilância de marcas!

Como as marcas vêm influenciando o desenvolvimento e comércio de produtos

A marca é tão essencial que, muitas vezes, ela influencia até mesmo o design e desenvolvimento do produto.

Cada vez mais, empresas têm investido em branding aliado ao design de produto, buscando maneiras de posicionar a marca no centro da estratégia. Assim, conquistam maior brand awareness (consciência de marca), mantendo-se sempre na mente dos consumidores e criando associações com o produto no imaginário popular.

Podemos ver o exemplo de marcas como a Sadia. Em 2020, ela ficou em 1º lugar entre as marcas de alimentos mais valiosas do Brasil em diversos rankings, como os da Exame, e da empresa internacional Kantar BrandZ, que é especializada em brand valuation. E de acordo com o Datafolha, a Sadia foi também a marca mais lembrada por consumidores brasileiros de alimentos congelados, atingindo um percentual de top of mind de 33%. (Fonte: FoodBiz Brasil)

Por isso, as marcas investem pesado no desenvolvimento de seu nome (marca nominativa), logotipo (marca mista) e até na embalagem do produto (marca tridimensional).

Como uma cooperativa pode construir um império com marcas

Com todo esse investimento e esforço na criação e projeção da marca de um produto, uma marca se torna um ativo de muito valor para uma empresa.

Por isso, é essencial investir na gestão da Propriedade Industrial, ou seja: na proteção jurídica e defesa das marcas que compõem o portfólio de uma empresa.

Este investimento se inicia desde o correto registro das marcas no INPI, e se estende à vigilância da marca, e defesa contra ações de terceiros.

—————————-

Confira também o nosso artigo

Arquitetura de marcas e patentes: entenda como as multinacionais e exportadoras protegem seus produtos

—————————-

Marcas fortes geram diversas fontes de renda

Quando o trabalho de desenvolvimento da marca e do produto é alinhado com um bom plano de marketing e uma boa estratégia jurídica de proteção da marca, a marca alcança projeção e credibilidade perante o público.

Consequentemente, a marca se torna valiosa. Isso se reflete em aumento de vendas dos produtos aumento do valor da marca (que, por sua vez, reflete-se nos investimentos que a marca recebe, ou no valor cobrado para licenciamento e outros negócios).

Assim, uma marca forte proporciona diversas fontes de renda ao mesmo tempo.

Quando uma marca é violada, quando divide mercado com imitações da sua marca, quando o seu dono não impede esse tipo de ação (deixando acontecer a diluição de marca), então a marca se enfraquece, perde valor e perde mercado. Por isso a proteção e a defesa jurídica da marca são fundamentais!

Registro de marca para cooperativas: não perca tempo

O registro de marca é imprescindível na estratégia de negócios de quem fabrica e comercializa produtos.

Mas não se esqueça de registrar também a marca da sua cooperativa.

Pense grande! Construa o seu império de marcas com todas as alternativas que a legislação te proporciona.

Busque profissionais especializados em Propriedade Industrial para tomar as devidas medidas perante o INPI e analisar o que pode ser feito em âmbito extrajudicial e/ou judicial também.

A Direção Marcas e Patentes é um escritório cadastrado no INPI, atuante nesse mercado há 20 anos. Já assessoramos mais de 14.000 marcas de todas as partes do Brasil.

Para conversar com um de nossos especialistas em Propriedade Industrial, salve o nosso número no Whatsapp ou ligue: 0800-728-7707

Site: https://direcaoconsultoria.com.br

E-mail: sac@direcaoconsultoria.com.br

Compartilhe esse post!


Ir ao Topo