Sobre Direcao Marcas

Esse autor ainda não preencheu quaisquer detalhes.
So far Direcao Marcas has created 298 blog entries.
direcao

Marcas de petshop – Como escolher o nome ideal?

Foto: wavebreakmedia_micro em Freepik É a marca que identifica seu produto ou serviço para os consumidores e escolher o nome do seu negócio é uma tarefa muito importante. Neste artigo, vamos te ajudar a escolher o nome ideal para marcas de petshop. Mercado pet no Brasil O mercado pet no Brasil vem apresentando crescimento médio de 20% nos últimos anos segundo levantamento do Radar Pet e a tendência é de um crescimento ainda maior para os próximos anos. No relatório do Google Trends, petshop foi o setor econômico que teve o maior número de buscas locais em 2021, confirmando a tendência de crescimento do setor. Então, se você está pensando em aproveitar o aquecimento do mercado pet e abrir um negócio, confira as dicas de como escolher o nome ideal para ele. Criando um nome ideal Destacar sua empresa entre os concorrentes é o principal objetivo de criar um nome forte e relevante, que será lembrado e reconhecido pelos seus clientes. Ela deve ser simples, de fácil pronúncia, escrita e memorização. Esta tarefa não é fácil, pois o nome da marca carrega a responsabilidade de passar ao seu cliente a personalidade, posicionamento, benefícios do seu produto ou serviço e muito mais. Por isso, estes passos que preparamos vão te ajudar a escolher o nome ideal: Conheça bem o segmento de atuação Conhecer o segmento em que atuará, vai te ajudar no processo de escolha do nome do seu petshop. Faça um levantamento detalhado e analise os seus potenciais concorrentes, quais os serviços e produtos que oferecem, como eles se comunicam, quais os diferencias, qual a localização deles, etc. Todas essas informações servirão de referência para abrir um petshop com uma marca impactante e de sucesso. Conheça bem o seu público-alvo Empreender sem conhecer o seu público-alvo é um risco muito alto, por isso, conhecer quem é o seu cliente, seus hábitos e necessidades é fundamental. Quem é o consumidor de produtos pet? Quais produtos esse consumidor costuma comprar com mais frequência? Conhecendo bem o público, você conseguirá escolher um nome para seu petshop que se comunique assertivamente com o seu cliente. Defina seu posicionamento, diferencial e produtos/serviços oferecidos Com o levantamento da concorrência e do mercado em mãos, é possível começar a desenhar como a sua empresa irá se comunicar e como irá se posicionar perante os seus clientes, e algumas características ou palavras usadas no nome da sua marca podem ser relevantes. Ter um diferencial e usá-lo na criação do nome da sua marca também pode ser uma excelente maneira de sair à frente dos seus concorrentes. Use a criatividade para se destacar Como mencionado no começo deste artigo, o nome ideal para seu petshop deve ser: Fácil pronúncia e escrita: não escolha nomes muito complicados de escrever e falar, isso pode prejudicar a divulgação da sua marca. Fácil memorização: o nome deve ser fácil de ser lembrado e para isso deve ter palavras certeiras e em quantidade pequena. Muitas palavras para compor um nome podem [...]

Empreendedorismo Feminino – Elas Criam Marcas Fortes

Fonte: lookstudio em Freepik O empreendedorismo feminino está em crescente evolução e segundo dados do Sebrae, 48% dos microempreendedores individuais (MEI) são representados por mulheres. A primeira grande diferença entre o modo de empreender entre homens e mulheres, relaciona-se com a motivação para o início da marca: homens focam na sensação de liberdade, já as mulheres iniciam seu próprio negócio por necessidade. Donas da sua própria marca, do seu próprio dinheiro e da sua própria história! Conheça um pouco mais a respeito do empreendedorismo feminino. Mulheres no ambiente corporativo Muitos são os desafios enfrentados pelas mulheres no ambiente de trabalho, desde as dificuldades de contratação a salários desparelhos em mesmas funções. Quando falamos a respeito das dificuldades para contratação, ocorre uma interferência social e machista, pois diversas empresas ainda possuem um pensamento retrogrado em relação à contratação feminina, onde situações como a maternidade, podem ser um empecilho. Tal fato é ignorado quando falamos a respeito de paternidade. Além disso, muitas “normas” em relação à vestimenta/comportamento são impostas apenas para mulheres. Segundo pesquisas do Instituto Patrícia Galvão, 40% das mulheres afirmam que já foram xingadas ou já ouviram gritos em ambiente de trabalho, enquanto 13% dos homens passaram pela situação. Dentre outros dados discrepantes, 92% dos entrevistados percebem que mulheres passam por mais situações de assédio e constrangimento em ambiente de trabalho. Quando o assunto é remuneração, infelizmente muitas mulheres que ocupam o mesmo cargo e realizam a mesma função que um homem, recebem um salário inferior. Segundo a mesma pesquisa citada anteriormente, 34% das mulheres já passaram por essa situação, enquanto apenas 6% dos homens a relataram. O que é empreendedorismo feminino? Primeiramente vamos definir o conceito de empreendedorismo, segundo o SEBRAE: “Ser empreendedor significa ser um realizador, que produz novas ideias através da congruência entre criatividade e imaginação”. Logo, o conceito de empreendedorismo está atrelado a pessoas que colocam em prática suas ideias e estão à frente do seu próprio negócio. Porém, em relação ao empreendedorismo feminino, o significado vai muito além do óbvio. Torna-se um ato de resistência e de quebra de um movimento carregado de pré conceitos em relação a capacidade profissional da mulher. Desafios das mulheres empreendedoras Como em todas as questões envolvendo o universo feminino, empreender exige muita resiliência e traz diversos desafios. Machismo estrutural O machismo estrutural esta presente no dia a dia das mulheres. Esta “vertente” do machismo, trata de assuntos munidos de preconceito como se fossem coisas naturais e aceitáveis. Tal fato prejudica o acesso a financiamento, por exemplo. Onde os critérios são extremamente rígidos para o público feminino, principalmente em casos onde as mulheres são solteiras e possuem filhos. Jornada Múltipla Segundo dados do IBGE, mulheres dispõem cerca de 21,4 horas semanais para afazeres domésticos. Enquanto isso, os números de horas semanais dedicadas pelos homens caem pela metade, em cerca de 11 horas. Logo, as mulheres encontram maior dificuldade em relação a quantidade de atividades desempenhadas. Empreendedoras e suas marcas de sucesso Luiza Helena Trajano – Magazine Luiza [...]

Vantagens do registro de software

Fonte: pressfoto em Freepik. Você sabia que para assegurar os direitos sob um software desenvolvido, ele também pode ser registrado? Embora os softwares estejam sob proteção dentro dos direitos autoriais desde a sua criação, eles podem ser registrados junto ao INPI, como forma de comprovar a titularidade da criação, em casos de necessidade jurídica. O registro de software funciona como forma de proteção interna e externa, assegurando os direitos do titular. Entenda como funciona!   O que é software? Todo programa executado em computadores, celulares e SMART TV, são considerados softwares. Desde aplicativos de celular à navegadores. São divididos em 3 categorias: Software de programação; Software de sistema; Software de aplicação. Software de programação Ferramentas utilizadas para o desenvolvimento de novos softwares, que utilizam linguagens de programação como: C, Java, Python, Swift. Software de aplicação São softwares que permitem executar diferentes atividades, como aplicativos de vídeo e música, jogos, navegadores. Software de sistema Estes são responsáveis pelos clássicos sistemas operacionais, quais utilizamos todos os dias, são eles: Windows, macOS, Linux, iOS, Android. É a partir deste, que os outros modelos de softwares são aplicados. Como funciona o registro de software? O registro de software é realizado através do INPI (Instituto Nacional de Propriedade Industrial), protegido pela Lei do Direito Autoral Nº 9.610 em conjunto com a Lei do Software Nº 9.609. Este registro garante ao titular a exclusividade e autoria da obra, tendo todos os seus direitos de produção, uso e comercialização assegurados. Com duração de 50 anos, o registro possui validade internacional nos países signatários da Convenção de Berna. A duração inicia-se a partir do dia 1 de janeiro do ano posterior à publicação, ou a partir da criação. Vantagens do registro Combate ao uso indevido e pirataria O registro de software assegura todos os direitos perante à criação. Logo, a partir do momento em que é registrado, o titular possui argumentos jurídicos para combater qualquer forma de uso indevido/pirataria. Desta maneira, pode reivindicar seus direitos e entrar com processos contra a pessoa/empresa qual está utilizando de forma indevida. Participação em licitações As licitações podem entregar à empresa um ótimo retorno! Elas são feitas em forma de parcerias com órgãos governamentais, por meio da contratação do software. Porém, apenas softwares registrados são contratados. É uma maneira de proteção, visto que criações sem registros podem ser indevidas ou piratas. Clientes mais seguros Softwares são sistemas/aplicativos que demandam de muitas informações pessoais e sigilosas do contratante. Em casos de empresas, o mesmo pode deter todas as informações a respeito de receita, dados internos, estratégias, clientes. Logo, quando licenciado acaba passando maior confiança e segurança ao cliente. Definição do titular e possibilidade de comercialização Sabemos que tudo que envolve dinheiro, precisa ser extremamente organizado para que a comercialização não traga problemas. Após definido o proprietário do software perante registro, o mesmo torna-se o responsável legal de tudo que envolve a criação. Logo, evita possíveis brigas judiciais com terceiros. Pois, perante a justiça, os únicos responsáveis pelo software serão aqueles [...]

Bebê Alice e o uso indevido da imagem infantil na internet

Fonte foto: oksun70 – Getty Images – Canva Em dezembro de 2021 foi lançada a campanha de final de ano do banco Itaú, protagonizada pela atriz Fernanda Montenegro e pela Alice Secco, de apenas dois anos. Alice virou um fenômeno nas redes sociais, principalmente no TikTok, onde seus vídeos e de sua família começaram a viralizar. Bebê Alice nas redes sociais A pequena ficou conhecida por ter uma dicção de dar inveja nos mais velhos, logo seus vídeos se disseminaram e explodiram o “fofurômetro”. Nos vídeos protagonizados por Alice, sua mãe, Morgana, a grava falando palavras consideradas difíceis, com uma pronúncia quase que perfeita! A família é um sucesso nas redes sociais! Possuem mais de 3 milhões de seguidores no Instagram e 4 milhões no Tiktok; Os vídeos atingem impressionantes acessos! Campanha Itaú A campanha “2022 é feito com você” do Banco Itaú, juntou as duas gerações com a atriz Fernanda Montenegro e com a Alice Secco. O vídeo divulgado através do Youtube, bateu cerca de 53 milhões de acessos em apenas um mês. Com o sucesso da campanha, os vídeos e a popularidade de Alice aumentaram mais ainda, e consequentemente, iniciou a circulação de memes nas redes sociais. Criação de memes e uso indevido da imagem Após o sucesso da campanha estrelada pela bebê, diversos memes foram criados, e a imagem de Alice foi vinculada à cunhos políticos e religiosos. Além disso, empresas quais ela não possui nenhum vínculo comercial, utilizaram a imagem da mesma para realizar suas ações de venda e publicidades. Morgana Secco, mãe de Alice, afirmou não estar de acordo com essas vinculações, e que apenas as empresas quais possuem contrato, tem a permissão para utilizar a imagem dela: "Faz uns dois três dias que estou recebendo muitos memes com a imagem da Alice. Eu queria deixar claro que a gente não deu autorização pra nenhum deles e a gente não concorda em associar a imagem da Alice com fins políticos ou religiosos, por exemplo. Além disso, a gente não autorizou nem o uso dela com imagem de empresas ou de instituições, então a gente também não autoriza campanhas, divulgações, vendas de produtos, associação com marcas" Afirmou Morgana, através de suas redes sociais. O que a lei diz sobre isso? É nítida a violação envolvida nos direitos de imagem, principalmente por se tratar de uma criança, onde entram violações a respeito do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) e da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD). Em relação ao ECA, crianças e adolescentes menores de 18 anos, só podem ter sua imagem divulgada com autorização dos pais ou dos responsáveis legais, de acordo com o artigo 17 do Estatuto: “O direito ao respeito consiste na inviolabilidade da integridade física, psíquica e moral da criança e do adolescente, abrangendo a preservação da imagem, da identidade, da autonomia, dos valores, idéias e crenças, dos espaços e objetos pessoais”. Visto através da LGPD, a mesma reforça a preocupação em relação ao tratamento de dados [...]

Empresas virtuais: existe a necessidade de Registro de Marca?

Conheça tudo sobre a tendência das empresas virtuais após o ano de 2020 e como funciona o processo de registro dessas marcas! As empresas virtuais estão em constante crescimento, devido à ascensão tecnológica e ao período de isolamento social provido da pandemia iniciada no ano de 2020. Embora o comércio eletrônico tenha como propósito simplificar o processo de compra, o empreendedor deve tomar todos os cuidados relacionados à impostos, registro de marca e regularização de CNPJ. Afinal, como funcionam as empresas virtuais? Segundo estudos da Fundação Getúlio Vargas – FGV, antes do período pandêmico cerca de 49,7% das empresas não realizavam nenhuma forma de venda online, em julho de 2020 o número caiu para 28,4% e em junho de 2021 estava em 20,2%. Pontos positivos e negativos Quando falamos nos pontos positivos de uma empresa virtual, logo pensamos na disponibilidade de acesso que o cliente terá. Que empresa física ficaria aberta e prestando atendimento 24h por dia, todos os dias da semana? E o melhor: tudo isso sem sair de casa! Ou seja, a comodidade e conforto em relação ao acesso é um dos principais pontos positivos. Além disso, podemos citar custos mais baixos de manutenção, quando comparamos a lojas físicas. Em outras palavras, a margem de lucro sob os produtos consegue ser mais proveitosa, melhorando o preço final ao consumidor! Entretanto, alguns pontos negativos devem ser levados em consideração também, como por exemplo, alguns clientes ainda possuem certa insegurança em realizar compras virtuais. Nestes casos, é indispensável deixar todas as informações da forma mais clara possível, quebrando, desta maneira, as possíveis objeções. Por exemplo, ao vender alguma peça de vestuário, deve-se especificar as cores disponíveis, modelos, de qual material é feito, os tamanhos e medidas – e como medir em casa. Todos os produtos devem conter fotos, e se possível, vídeos com todos os detalhes da peça. Para deixar o consumidor mais tranquilo e seguro com a compra! Como iniciar uma empresa virtual? Existem diversos processos envolvidos na criação de uma empresa online, alguns deles são: Defina o segmento de atuação e público-alvo; Encontre os fornecedores para os produtos que serão vendidos; Escolha um nome para a marca e faça uma busca de viabilidade gratuita; Registre a marca e tenha todos os direitos sob ela assegurados; Encontre uma plataforma de venda digital; Contrate um software para controle interno (vendas, finanças, estoque); Inicie o processo de anúncios/tráfego pago; Invista na experiência do cliente! Como esse produto chegará até ele? De que forma a marca impactará positivamente e fará com que a empresa seja recomendada? Por que realizar o registro de marca de uma empresa virtual? Muitas pessoas imaginam que por se tratar do mundo “online”, não existe a necessidade de registro de marca. Entretanto, o registro é a única maneira de assegurar os direitos sob uma marca. Sem ele, a marca fica sem proteção, e qualquer outra pessoa pode realizar o pedido de registro antes. Desta maneira, é indispensável que este pedido seja realizado antes de colocar a marca [...]

Pedido de registro indeferido: o que houve?

Muitas são as razões pelas quais um pedido de registro de marca é indeferido, por esse motivo é importante poder contar com excelentes profissionais para lhe ajudar nesse processo. Neste artigo conheça as principais razões quais levam ao indeferimento, e como evitar que isso aconteça. Qual a diferença entre Deferimento e Indeferimento? Estes dois termos são utilizados ao decorrer dos processos de registro, como forma de entregar o resultado ao solicitante. Um pedido deferido é um pedido aceito, o qual está de acordo com todos os requisitos pré-estabelecidos. Já nos casos de pedidos indeferidos, ocorre o contrário! Onde, provavelmente, algum requisito não foi cumprido por parte do solicitante e o pedido é negado. O que pode levar o pedido ao indeferimento? O principal motivo dos pedidos indeferidos é quando ocorre a tentativa de registro de uma marca já registrada. Por isso, alguns pontos devem ser levados em consideração: Faça um excelente estudo de viabilidade de marca Esse estudo permite uma análise aprofundada das semelhanças entre a sua marca e as marcas já registradas dentro da classe de interesse. Desta maneira, investindo nesse estudo de viabilidade, você consegue ter noção se pode prosseguir com o pedido de registro, ou se precisa realizar algumas alterações na marca. É uma das partes mais importantes de todo o processo e não pode deixar de ser feita de maneira alguma. Nós contamos com um serviço gratuito de estudo de viabilidade de marca! Registre o quanto antes! Parece óbvio, mas muitos empreendedores iniciam suas empresas sem o registro. E nós entendemos, essa fase inicial demanda muitos investimentos e diversos detalhes precisam ser observados. Porém, o registro prévio da marca, evita possíveis frustrações futuras. Já imaginou, iniciar a comercialização, a identidade visual, investimento em publicidade, e precisar voltar à estaca zero, pois, alguma outra marca registrou o nome antes? Logo, o recomendado é registrar a marca antes de iniciar a comercialização da mesma! Porém, é possível realizar o registro com a marca já ativa. O importante é realizar o registro o quanto antes, não perca mais nenhum segundo! Invista em nomes originais! É nítido que toda marca de sucesso tem seu diferencial. Busque referências, mas nomeie sua empresa com o que representa a essência dela, algo único. Fuja do padrão e abuse da criatividade, invista na cultura organizacional da sua marca, identifique os propósitos, a missão, os valores, que escolher um nome original será quase que automático! Além do indeferimento por marcas já existentes, existem alguns outros requisitos que quando desrespeitados, põe em risco a aprovação do pedido de registro, entre eles: Termos Genéricos Segundo o artigo 124 da Lei de Propriedade Industrial, é proibido o uso de termos genéricos/comuns para se referir a uma marca, quando os mesmos tem relação com a atividade da empresa. Por exemplo, uma perfumaria não seria permitida a registrar a palavra “perfume” como marca. Uma vez que se trata de um termo genérico relacionado à sua atividade, e a mesma não pode obter exclusividade sobre tal. Marcas enganosas Não é permitido o [...]

Marimariamakeup

"Agradecemos imensamente a Direção por todo o empenho em atender nossa empresa com a maior competência e agilidade. Podemos dizer que somos 100% satisfeitos com o atendimento e o profissionalismo da equipe." Mari Maria

Tendências de empreendedorismo para 2022

 Empreender é um grande desafio por isso, ficar antenado nas novidades para este novo ano é essencial para o sucesso. O número de empresas abertas no segundo quadrimestre de 2021 foi o maior desde 2011, segundo o Boletim do Mapa das Empresas. Começar 2022 por dentro das tendências do empreendedorismo pode ajudar sua marca a crescer ainda mais e conquistar mais clientes. Para te ajudar, neste artigo traremos as principais tendências de 2022 para o seu negócio. Segundo levantamento feito pelo Sebrae, esses foram os setores com mais empresas abertas de janeiro a abril de 2021: Lojas de vestuário e acessórios; Promoção de vendas; Cabeleireiro, manicure e pedicure. Estando São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro como os três estados com o maior saldo de aberturas de empresas, respectivamente. Avanços tecnológicos A segurança dos dados nas empresas não é mais uma opção. As sanções da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), que dispõe sobre o tratamento de dados pessoais, inclusive nos meios digitais, entraram em vigor em agosto de 2021. Logo, estima-se que mais de 80% das empresas devem aumentar seus investimentos em cibersegurança em 2022, contribuindo para o crescimento do setor de tecnologia. Cuidados com a saúde e bem-estar A preocupação com a saúde teve um aumento significativo durante a pandemia do coronavírus e mesmo com a volta das atividades nas academias, a prática de exercício em casa se consolidou, aquecendo o mercado de comércio de roupas, acessórios e equipamentos de ginástica. Além da instalação de aplicativos fitness que aumentaram 226% em 2020. De acordo com um estudo feito pela Euromonitor, qual ouviu aproximadamente mil pessoas no final de 2020, mostrou que 78% deles estavam mais atentas à alimentação e à saúde e 53% delas estavam buscando mais informações sobre os alimentos. Portanto, para empresas que trabalham com produção e comércio de alimentos possuem um mercado promissor para explorar. Economia circular e cuidado com o meio ambiente A pauta de economia sustentável vem ganhando força há algum tempo e o termo ESG está cada vez mais presente nas organizações. Mas afinal, você sabe o que que significa ESG? Esta sigla em inglês é environmental, social and governance, que dizem sobre como integrar as práticas ambientais, sociais e de governança de uma empresa. Sob o mesmo ponto de vista, a economia circular também está em alta e é um conceito de negócio que trata desde a produção até a eliminação dos resíduos e reciclagem de um produto. Dessa forma, as empresas são agentes importantes para um desenvolvimento mais sustentável do planeta e as que não se atentarem e não tiverem uma real preocupação com questões ambientais e sociais ficarão para trás e perdendo muitos clientes para concorrentes que já atuam pensando na redução de impacto humano na natureza. Delivery veio para ficar O delivery não é mais tendência, ele foi uma necessidade, veio para ficar e desde o início da pandemia a demanda intensificou. Durante os meses de isolamento e lockdown, descobrimos algo muito além do food delivery, [...]

Transferência de titularidade é possível? Como funciona?

Vai vender a marca ou precisa realizar a troca de titularidade? Descubra se é possível e como funcionam as normas do INPI nestes casos!   Embora não seja um bem material, mas sim, um bem intangível, é possível sim realizar a transferência de titularidade! Existem diversos motivos e situações que podem fazer com que o empreendedor precise realizar esta transferência. O INPI – Instituto Nacional de Propriedade Intelectual, é responsável pela gestão das concessões e direitos sob marcas, patentes, desenho industrial, software, entre outros. Logo, este Instituto é indispensável para quem empreende e precisa defender os direitos da sua marca! Como é definido o registro de marca? Em primeiro lugar, vamos conhecer melhor o conceito de “registro de marca”. Segundo a enciclopédia jurídica da PUC-SP, o registro de marca é um título que assegura o direito de propriedade e uso exclusivo da marca em todo o território nacional. Sua concessão se dá mediante pedido depositado junto ao INPI. Portanto, o registro de marca é primordial para a proteção legal dos direitos da sua marca. É através deste registro, que podemos evitar algumas situações desagradáveis, como: Plágio Uso indevido da marca Uso indevido da identidade visual Concorrência desleal Esta é a única maneira de proteção legal da marca. Marcas sem registros, não possuem donos, perante a lei. O dono da marca é quem fica responsável pela titularidade da mesma, e existem alguns casos onde o mesmo precisa realizar a transferência da posse. Quais motivos levam o titular a realizar a transferência de titularidade? Existem diversos motivos que levam o titular ao desejo de realizar a transferência da titularidade. Existem casos onde realmente a empresa está fechando, mas não se limita à apenas isso. Dentre os motivos, estão: Transferência de pessoa física para pessoa jurídica Compra ou venda de marca Troca de titular por razões internas Titular encerra as atividades da empresa, mas quer manter os direitos da marca, passando-a para outra pessoa Como funciona o processo de transferência de titularidade? Quais os tipos de transferência?   O INPI difere as transferências em 5 módulos, de acordo com a causa. São elas: - Cessão - Incorporação - Cisão - Sucessão legítima ou testamentária - Falência A seguir, conheça cada modelo de transferência:   Cessão Este modelo de transferência ocorre quando o titular da marca (cedente) transfere os direitos da marca para o cessionário. Segundo o Manual de Marcas do INPI, os documentos necessários são: Requerimento de transferência de titularidade, devidamente preenchido com os dados do cessionário; Comprovante do pagamento da retribuição correspondente; Instrumento comprobatório da cessão, que deverá conter a qualificação completa do cedente e do cessionário, com os poderes de representação dos signatários do documento de cessão e suas respectivas assinaturas, o número do pedido ou do registro, a marca cedida e a data na qual foi firmado o documento de cessão; Instrumento comprobatório da cessão de prioridade, se for o caso; Procuração do cessionário, se for o caso; e Tradução simples dos documentos em língua estrangeira, dispensada a legalização [...]

O que é considerado concorrência desleal?

Está entrando no mundo do empreendedorismo? Aprenda a proteger sua marca da concorrência desleal! Novos empreendedores talvez não conheçam, mas a concorrência desleal, infelizmente, ainda ocorre frequentemente. Essa prática pode prejudicar a imagem da sua empresa, diminuir os lucros e consequentemente, perder clientes. O risco para marcas não registradas é ainda maior! Nestes casos, segundo a lei, uma marca não tem dono se não for registrada, o que facilita ainda mais as ocorrências das diversas formas de concorrência desleal. Afinal, como é definida a concorrência desleal? A concorrência desleal é uma forma ilícita de disputa entre as empresas. É uma prática que visa angariar os clientes alheios através de estratégias que fogem da conduta moral e ética. Segundo o Art. 195, da lei número 9.279, algumas das práticas consideradas crime de concorrência desleal, são: Disseminar falsa informação a respeito do concorrente buscando obter vantagem; Utilizar técnicas ilícitas/fraudulentas para angariar clientes da concorrência; Utilizar expressões/marcas/cores/slogans registrados por outra marca, buscando confundir o consumidor; Utilizar, indevidamente, o nome comercial; Vender produtos adulterados ou falsificados; Oferecer vantagens ao empregado do concorrente, visando prejudicar a empresa; Divulgar dados confidenciais.  Como ela pode estar representada na prática? Fake News Com a facilidade às redes sociais e a ascensão das Fake News, a difamação de concorrentes na internet tornou-se cada vez mais comum. Afinal, o que são Fake News?   Traduzidas como “Notícias falsas”, são utilizadas para disseminar boatos em forma de notícias, que visam prejudicar algo e confundir o receptor da informação. Muitos utilizam perfis falsos para comentar nas publicações, dar feedbacks ruins e espalhar fakenews. Ainda mais com o rápido poder para viralizar os conteúdos, as publicações podem ser disseminadas de uma forma muito rápida e atingir um número muito grande de internautas. Alguns portais e redes sociais como Facebook, Google e WhatsApp, contam com alguns mecanismos para controlar a disseminação dessas informações falsas. Porém, essas informações compartilhadas ainda atingem muitas pessoas! Segundo uma matéria do Jornal do Comércio a respeito de um estudo do MIT (Instituto de Tecnologia de Massachussets), as Fake News se espalham 70% mais rápido que as notícias verdadeiras. Logo, é necessário ficar atento à todas as informações recebidas e compartilhadas! É de suma importância buscar outras fontes para confirmar a veracidade da informação. Concorrência parasitária A concorrência parasitária age, de fato, como um parasita! Onde a empresa desleal acompanha o lançamento de algum produto/campanha, verificando os resultados, métricas e respostas positivas ou negativas do público; Em seguida, utiliza as informações adquiridas neste acompanhamento e lança algum produto similar, com as estratégias já otimizadas, e com preços menores. Desta maneira, acaba atraindo os clientes da outra empresa, e captando-os. Neste tipo de concorrência desleal, o lançamento de um novo produto possui os custos reduzidos; Levando em consideração que não ocorrem os investimentos em pesquisa, lançamentos e que a resposta do público acaba sendo mais positiva e assertiva. Plágio Segundo a lei, plagiar algo é uma violação aos direitos de propriedade intelectual, onde envolve a apropriação de algo que não [...]

Ir ao Topo